Apresentação.

 

 

O “Trans Day NIGS – Seminário Transfobia, Cidadania e Identidades Trans” é um seminário anual, cuja primeira edição foi realizada em 2010. Entre 2011 e 2014, o evento continuou a ser organizado pelo Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Na atual edição, de 2015, o evento será realizado pela primeira vez em outra Universidade Federal, na UNILA, em Foz do Iguaçu, iniciando assim a proposta de itinerância do Seminário entre diferentes universidades.  Por isso o nome "Trans Day NIGS/UNILA". A realização da sexta edição do Trans Day NIGS em Foz do Iguaçu visa também a internacionalização do seminário, buscando maior integração com pesquisadoras e ativistas de outros países latino-americanos.

 

Desde a primeira edição, o Trans Day NIGS na UFSC teve  como objetivo a entrada no circuito internacional de atividades que marcam a luta pela despatologização das identidades trans ao redor do mundo. Através da campanha Stop Trans Pathologization, foi o primeiro evento dessa campanha realizado no Brasil, cujo objetivo é lutar pela despatologização das identidades trans  e pela sua retirada dos catálogos de doenças, o DSM (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders), da American Psychiatric Association, e o CID (Classificação Internacional de Doenças), da Organização Mundial da Saúde (OMS), que atualmente passa por um processo de revisão, com a previsão de publicação em 2017. 

 

Essa luta repercutiu na publicação, em maio de 2013, da quinta versão do DSM, na qual a transexualidade, antes considerada um "transtorno de identidade de gênero", ou seja, um "transtorno mental", passou a ser "disforia de gênero".  A não conformidade com o gênero não implica em si uma "disforia". Apesar das mudanças, estão ainda presentes no campo das transexualidades discursos médicos e “psi” que precisam ser problematizados em conjunto com as práticas de saúde, assim como outras demandas legais e judiciais e as implicações de classe social imbricadas.

 

O Seminário Trans Day NIGS, desde a primeira edição, tem como meta promover um espaço de encontro e diálogo entre pesquisadores/as sobre transexualidades e travestilidades, ativistas e formuladores/as de políticas públicas em diversos campos, articulando teorias trans e as reivindicações políticas, por meio de rodas de conversas, manifestos visuais  e diferentes formas de expressões artísticas.

 

Em suas cinco primeiras edições, o Seminário  Trans Day NIGS se constituiu como uma referência no Brasil  para as reflexões e debates acerca da despatologização das identidades trans. A partir de 2015, o Seminário passará a ser itinerante, com o estabelecimento de novas parcerias institucionais e ampliação do diálogo com outros países da América Latina. O VI Trans Day NIGS será realizado na Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), uma universidade pública brasileira que acaba de completar 5 anos de existência.

 

A UNILA foi escolhida para sediar o VI Trans Day NIGS por ser uma universidade voltada para a integração latino-americana, e por ter como característica o incentivo à cooperação solidária entre instituições de ensino superior, organismos governamentais e internacionais.

 

O VI Trans Day NIGS/UNILA tem como objetivo ampliar a reflexão científica e o debate sobre a patologização das identidades trans, abordando temas de grande importância política em nível nacional e internacional no campo dos estudos de gênero, tendo como enfoque os dilemas e paradoxos que envolvem a patologização dos sujeitos trans tanto no plano subjetivo quanto em suas implicações sociais e políticas. 

 

A ideia é discutir a temática das identidades e categorias de gênero como tema geral presente em todas as atividades, já que os campos médico e jurídico têm um modo de conhecer as transexualidades, travestilidades e intersexualidades que leva ao encerramento dos sujeitos em conceitos fechados e estabelecidos. Também alguns movimentos sociais trabalham a partir dessa ótica das categorias, enquanto outros negam completamente os enquadramentos. Em todos esses casos, as reivindicações trazem impressas os modos de pensar dos movimentos sociais envolvidos, tornando imprescindível para a Academia entender esses movimentos políticos e identitários, junto com as proposições teóricas do feminismo atual.

 

Desejamos ampliar, com a realização deste Seminário específico sobre transfobia, cidadania e identidades trans, o espaço acadêmico de discussão e troca de saberes entre a universidade, movimentos sociais e Estado, no contexto latino-americano, visando contribuir para o respeito à cidadania destes indivíduos e grupos sociais, através da implementação de políticas públicas inovadoras no campo do gênero e das sexualidades. Para isto reuniremos pesquisadores/as que estudam identidades ou expressões de gênero trans, ativistas dos movimentos de transexualidades e travestilidades, representantes de organismos internacionais e formuladores/as de políticas públicas no campo dos direitos humanos para esses segmentos.

 

Serão realizadas três rodas de conversa:

 

1. “Despatologização trans no contexto internacional”

 

2. “A questão trans na America Latina: Saúde, educação e movimentos sociais” 

 

3. “A questão trans na America Latina: quem tem direitos? ” 

 

Além das rodas de conversa, haverá um manifesto visual, exibição e debate de um filme e oficina de Drag King.

 

Para conhecer as edições anteriores do Trans Day NIGS, clique aqui

 

Acesse a nossa página no Facebook